leigos missionários, os GRANDES


Damasceno

Itoculo


Itoculo está desde finais de Agosto deste ano sem leigos missionários. Não é a primeira vez que tal acontece no decorrer dos já oito anos de vida desta missão espiritana. Mas é, mesmo assim, estranho. Esta missão já se habituou a eles. É a missão dos leigos, e a ausência deles como que a descaracteriza. Os missionários e missionárias do Espírito Santo ficam desamparados quando se dá um tal interregno. Felizmente está para breve a chegada da Joana Cruz, já em Janeiro próximo.

Os leigos são fundamentais na missão de evangelização da Igreja. Esta é uma certeza que nós verificamos de um modo absolutamente inequívoco aqui em Itoculo, tal a imensa riqueza que os leigos missionários já nos trouxeram. O seu testemunho é único: pelo facto de não serem nem padres nem irmãs, eles conseguem uma credibilidade diferente junto do povo, conseguem outro tipo de aproximação. A sua influência evangelizadora faz-se sentir até nos próprios religiosos com quem os leigos convivem, edificando-os com a sua vida de oração e fé. Além do mais, os leigos têm geralmente uma especialização profissional, uma qualificação técnica que muito contribui para a eficácia da actividade missionária: como saber que a areia para construção tem uma determinada granolometria… ou entender que as sementes podem ser dicotiledóneas! Tudo coisas muito úteis. – Estes são exemplos caricatos, evidentemente…


Uma das apostas do trabalho pastoral em Itoculo nos últimos dois anos tem sido a criação e promoção de grupos de oração e de renovado envolvimento eclesial. Ora, até neste plano, o papel dos leigos se tem revelado determinante. Senão vejamos:

Estão a funcionar neste momento dois grupos da Legião de Maria. Todos os sábados se reúnem para rezar, para planear e avaliar as suas actividades de evangelização. São eles que vão, dois a dois, de porta em porta, cada semana, à procura de ovelhas tresmalhadas ou em auxílio de pessoas em situação de extrema necessidade. Este é claramente um movimento de leigos e, além do mais, foi pensado e fundado por um leigo, que nunca pôs os pés em Itoculo, um irlandês, Frank Duff. E já lá vai um par de anos.


Raul Marcos. É um jovem leigo espanhol que há alguns anos trabalha como director da universidade Católica de Pemba, província de Cabo Delgado. Com bastante frequência, e aproveitando o escasso tempo que lhe permite a sua posição na universidade, viaja até Nampula (a mais de 400 Km de Pemba) para assistir grupos de oração ligados à comunidade de Jerusalém, do Renovamento Carismático, a que ele próprio pertence. Trata-se de uma dedicação comovente, que por si só já nos evangeliza. Em meados deste ano propôs-se vir também a Itoculo orientar alguns dias de oração e de reflexão com alguns dos nossos animadores. Nasceram, a partir desta experiência, alguns grupos de oração carismática na paróquia, que semanalmente se reúnem para uma oração mais espontânea e ao sabor do Espírito de Pentecostes.


A Ernestina, leiga missionária que esteve connosco no último ano, deixou-nos a herança dos encontros de Taizé. Incutiu nos jovens o gosto pela oração cantada a várias vozes, à maneira dos coros celestiais. E, agora, como ela já cá não está e nós nem sempre encontramos vagar para preparar o esquema da oração e organizar ensaios, são os jovens que nos recordam: “Então? Este mês não temos oração de Taizé?” E temos mesmo que nos mexer.


Enfim, quando se menciona o termo “leigo missionário” logo surge em nós um sentimento de agradecimento: obrigado ao Christophe Héveline, à Celeste Reis, ao Hugo Rodrigues, à Joana Pedro e à Ernestina Falcão, que desde 2004 por aqui passaram e aqui viveram. Agradecemos ainda a tantos que se preparam ainda para vir. Mas damos uma palavra de apreço também àqueles que, de forma muito discreta, na retaguarda, se interessam pela missão. São aqueles que, mesmo sem apanhar o avião, atravessam outros “mares”, transpõem as fronteiras dos seus próprios interesses para atender às imensas necessidades de um próximo que vive tão longe. Com a sua oração, sacrifício e solidariedade material “empurram” para a frente os missionários que se encontram no terreno. Obrigado à LIAM e a tantos que, mais ou menos anonimamente, nos têm apoiado.


Recentemente estive na África do Sul. Lá reencontrei amigos de longa data. E entre a comunidade portuguesa que vive naquele país, tive a sorte de experimentar a mesma hospitalidade que o apóstolo Paulo exalta nalgumas das suas cartas. Naquelas terras muitas famílias cristãs continuam a dar testemunho de comunhão com os mais pobres e com os missionários. Este testemunho é tanto mais assinalável quanto sabemos que nem sempre estas famílias vivem economicamente desafogadas. Obrigado.


O pequenino menino Jesus deve sentir-se muito confortável no enorme coração destes leigos.


Feliz Natal 2011 e um santo ano 2012



Damasceno

Comentários

Anónimo disse…
É realmente muito edificante e testemunhante ver um padre missionário a falar assim da presença dos leigos na missão! Parabéns, não apenas aos leigos, mas a toda a missão de Itoculo. E parabéns por este magnífico texto.
Continuem assim!
P. Simões
Anónimo disse…
obrigado Damasceno do nos recordar da importancia dos leigos nas missões e de nos fazer ver o rosto da Igreja que é constituida por todos nós, cada um com a sua função e todos indispensáveis para que a Igreja seja Igreja.
que o menino Jesus faça crescer em nós os dons do seu Espírito e, todos juntos e cada um com o seu dom, edicaremos uma Igreja melhor e um mundo melhor.
Louvado seja Deus!
Elson
Olá Damasceno: Feliz Natal. Daqui da nossa santa terrinha em Tras os Montes, vai directinha para aí uma travessa de filhós e rabanadas!.Lí o teu artigo"post"e o "gabanço"merecido aos leigos missionários.Valente esta tua valorização da missão que é de todos,mas tem todo o teu empenho e dinamismo em conjunto com os outros colegas.Pela parte que me toca...é um orgulho partilhar e acompanhar a vossa missão aqui deste cantinho. Parabéns e carradas de saúde e alegria para todos poderem assim continuar.Beijinho e até daqui a uns dias;)Laura
Esqueci-me de dar os parabéns pelo vosso presépio...está lindo.
Anónimo disse…
É bela esta experiência de comunhão que só por si fala de Missão. Possamos todos aprender a construir assim a Igreja onde quer que estejamos. Parabens e um abraço de Boas Festas de Natal para todos e todas, aí em Itoculo. P. Zé Manel
Lisete Reis disse…
Precisas de uma leiga jornalista?... Pois, não dá jeito para nada, né?.. :(
Michel Besse disse…
E um saludo ja que esta noite na parroquia dos jesuitas de paris, pela "Misa com tempo" tivemos oportunidades de saludar nos com o Christophe Héveline, que mencionas en o teu artigo. Eu tinha 6 anos sem ver a ele nem ter notiçias. Foi uma grande alegria. Ainda nao poda participar da sua missao no Moç. igual sigo orando as suas intençoes
Michel Besse

Mensagens populares