o nosso encontro

Alberto Tchindemba
Nampula

Habitualmente encontramo-nos duas vezes por ano em assembleia de Grupo Espiritano de Moçambique. Os encontros têm sido momentos de partilha das nossas actividades apostólicas, um olhar sobre o andamento das nossas comunidades, convívio, abordagem das nossas preocupações e tomada de decisões. Portanto, os nossos encontros têm sido verdadeiros momentos de celebração.
Este ano reunimo-nos de 23 a 28 Maio na comunidade espiritana de Inyazónia, situada no centro do país.
É curioso notar que na nossa agenda há assuntos que estão sempre na ordem do dia. Trata-se de questões como o auto-financiamento, o acolhimento e formação de jovens candidatos e a abertura da quarta comunidade espiritana em Moçambique.

A questão do auto-financiamento tem sido um quebra-cabeças para um grupo pequeno como o nosso, sem recursos financeiros e que está totalmente dependente da Cor unum e que pouco a pouco vai reduzindo a fasquia para todos aqueles que apresentam os seus pedidos de ajuda. Que estratégias tomar para que o Grupo tenha uma ‘saúde financeira’ aceitável para dar andamento a todos os seus projectos? A questão das finanças tem sido um grande problema porque por aqui não é fácil “inventar” qualquer coisa que produza boas receitas. Esforços têm sido envidados para conseguir alguma coisa. Algumas das nossas comunidades estão empenhadas na criação de animais e em plantações hortícolas. Recentemente surgiu a ideia de encontrar terrenos na cidade para construir pelo menos um armazém, já que muitos comerciantes andam à procura de espaços para guardar os seus bens. Parece-nos ser algo que se pode fazer e até dá dinheiro. A comunidade de Nampula vai dando passos neste sentido.

A formação de jovens espiritanos é um assunto bastante debatido entre nós. Estamos em Moçambique há doze anos e já é tempo de pensar num postulantado. Muitos jovens vêem bater à nossa porta e nós não lhes damos uma resposta satisfatória porque não temos espaços para os acolher. Pensávamos ter a formação na cidade de Nampula mas infelizmente a casa recentemente comprada é pequena para albergar jovens em formação. Entretanto, temos três jovens que insistem em ingressar na formação espiritana. Para estes estamos a tentar negociar com as circunscrições vizinhas para ver se os enviamos a uma circunscrição da SCAR...

A quarta comunidade é um outro assunto que tem feito correr muita tinta, pois sente-se a necessidade de ter uma comunidade próxima da de Inyazónia para servir de apoio. Ora, a questão que se coloca é do pessoal e de dinheiro para pôr em marcha o projecto. Temos vindo a bater a várias portas mas até aqui não encontramos confrades disponíveis para Moçambique.
Diante destes desafios não desanimamos porque contamos com muitos benfeitores e com a Congregação inteira que permite que a missão espiritana em Moçambique se desenrole sem grandes sobressaltos.

foto do grupo:
da esquerda para a direita, de pé - Yves, Pedro, Ronan, Tchindemba, Oliver e Cayetano
de cócoras - Noel, Damien e Damasceno

Comentários

troza disse…
Vontade de ir mais longe não vos falta!

Os desafios que têm pela frente parecem estar a criar algumas dificuldades, mas a alegria de "chegar à meta" será então maior! E verdade seja dita, para Deus nada é impossivel!

E por fim, desejo-vos boa sorte para a realização desses projectos!

Um grande abraço

André Saraiva
Raul Viana disse…
Isto é que é uma foto de família!... Gente nova, bons projectos, desafios pela frente... Coragem. Estamos unidos. Um abraço.
Raul Viana

Mensagens populares