Intervenção no fim do Primeiro Capítulo
do Grupo Espiritano de Moçambique



John Kingston
Correspondente do CG para Moçambique

Na oração do Primeiro Capitulo de Mocambique dizemos: “Deus nosso Pai, nós vos pedimos o dom do Espírito Santo. Que Ele nos encha com o fogo do seu amor, e inspire o nosso trabalho, pensamentos, palavras e decisões”.

Penso que neste momento de graça que é o capítulo, a nossa oração foi ouvida e atendida. O Espírito Santo trabalhou em vós e chamou-vos para ultrapassar certas dificuldades de comunicação e vos levou a uma união maior.

A vossa convicção, expressa na mesma oração, é muito significativa: “Estamos determinados a acolher o que for da vossa vontade, e a seguir com coerência, generosidade e alegria o caminho do serviço aos mais pobres e do anúncio do Reino de Jesus Cristo”. É já uma promessa. Estamos a chegar a essa parte da tarefa de acolher as decisões que tomaram com a ajuda do Espírito Santo, e que se transformam na vontade do Pai para vós.

Gostaria de destacar algumas coisas. O relatório do Alberto nos lembrou o que têm sido estes 14 anos de aventura para os espiritanos em Mocambique. No relatório é evidente que, se a vida do Grupo tem sido um tanto como a procissão do ofertório, uns passos para frente e outros para trás, o movimento geral foi para a frente e houve progressos significativos. O relatório nos lembrou que, dos 17 confrades nomeados para cá, 8 saíram cedo e alguns em circunstâncias difíceis. Mas, ninguém que tenha passado por aqui, mesmo por um breve espaço de tempo, saiu sem fazer algum bem.

Apesar dos progressos, a vida do Grupo ainda está ameaçada por algumas fragilidades. Encontrar novos confrades nomeados para cá, jovens ou mais experimentados é um desafio. O financiamento da missão é um desafio para vós como para toda a Congregação.

Penso que a preparação deste capítulo e a sua realização tem sido um exercício muito bom para concentrar a visão do Grupo. Talvez terá ajudado a harmonizar os projectos das comunidades com o projecto do Grupo.

A convicção que tendes da importância da oração e da espiritualidade promete uma maior fidelidade à vocação no futuro. Será bom para a vida de cada um e para a vida do Grupo.

Vos faço um apelo: Que o capítulo seja um alicerce, ou base em que continuais a construir a missao aqui em Moçambique – Ouvi várias vezes a palavra disciplina – Na condução duma circunscrição é necessária muita paciência e disciplina em seguir os procedimentos previstos para fazer as coisas…

No próprio Capítulo, acho que houve um bom espírito de trabalho. Os vários instrumentos ajudaram: o relatório do Superior, o Instrumento de Trabalho e o esboço do plano Estratégico de Desenvolvimento. A moderação firme e flexível do Brendan ajudou a fazer avançar os trabalhos. No equilíbrio entre o trabalho, a oração, o recreio e o descanso acho que o Capítulo foi verdadeiramente uma celebração. Foi como desejava o Alberto no seu relatório: “um momento de acção de graças a Deus que nos chamou para a missão”.

Ao próprio Alberto, neste momento de passar a tarefa do ministério de Superior do Grupo para o Raul, tenho que dizer parabéns e obrigado. Digo isto da minha parte e da parte do Superior Geral e do Conselho. O bom funcionamento do Superior nos ajuda muito na animação e administração da Congregação. O que ele viveu aqui como membro fundador do Grupo durante 14 anos, e como coordenador e superior em vários momentos críticos, foi muito. O que valeu foi a sua maturidade, simplicidade, empenho nos trabalhos e paciência com as falhas dos outros. Eu penso que tudo o que o Alberto viveu ao longo destes anos daria para escrever um grande livro muito interessante da história desta fenomenal aventura com Deus, que tem sido a sua missão em Moçambique. É tempo agora de tomar uma pequena distância no tempo e no espaço, descansar deste tipo de trabalho e renovar as suas forças para a etapa a seguir. A nossa oração acompanha o Alberto na sua nova vida de estudante.

O Raul entra no ministério de Superior do Grupo. Precisa da boa colaboração de todos os membros do Grupo. Vai ter o apoio do Conselho Geral. Terá também de colaborar connosco. Para o ajudar nisto será convidado a participar num encontro de novos superiores na casa Geral durante o ano de 2011. Terá também de colaborar com as outras circunscrições da África Sul-Central na nova União.

Vamos pedir constantemente a Deus a sua ajuda para poderdes florescer como circunscrição da Congregação nesta parte do mundo.

Centro Pastoral de Nazaré, na Beira, Moçambique
22 de Junho de 2010

Comentários

Parabems para todos os participantes do capitulo, e ao novo conselho e superior, Padre Raùul.
Desde Burdeos, FRA.
Michel BESSE

Mensagens populares