A minha caminhada vocacional

entrevista com o Jovem Professo Juma Mário Henriques

-Como surgiu a sua vocação?
Juma: Eu nasci e cresci numa família cristã no dia 09 de Novembro de 1988 e tenho a sorte de ser o primeiro filho dos meus pais dentre os 7 filhos do senhor Mário Henriques Mucalihene e Luísa Chanfar, a qual já está nas mãos de Deus (que a sua alma descanse em paz). Fui baptizado na comunidade de S. Timóteo Mutiapua no dia 23 de Junho de 1998 pelo Pe. Damasceno dos Reis e recebi o Nome de Yohane (João) Mário Henriques (nome que não aparece no meu registo civil) e tenho como os meus padrinhos Alves Samua e Anastácia Juma.


-Como foi a caminhada vocacional?
Juma: A minha caminhada vocacional começa com o exemplo e o testemunho dos Missionários Espiritanos. Fiquei maravilhado com a vida e a simplicidade destes missionários que trabalhavam nesta Paróquia levando a Palavra de Deus nas zonas difíceis de penetrar e aspirava também entrar na Vida Religiosa para viver como eles, principalmente servindo os mais necessitados. Mas não sabia como. Até que um dia ouvi pela primeira vez a falar da vocação por uma Irmã Espiritana que estava na paróquia. Depois, foi a irmã Felecité que me orientou para entrar em contacto com o animador vocacional para ser incorporado na lista dos vocacionados da paróquia. Assim feito, comecei a entrar em contacto com os Padres, especialmente Pe. Damasceno dos Reis, que na altura era o Pároco em colaboração com Pe. Raul Viana que era animador das vocações.

Depois de concluir a 7ª classe na EPC de Itoculo-Sede no ano 2004, parei de estudar num período de dois anos (2005-2006). Neste intervalo ajudava os meus pais a cultivar a terra e fui alfabetizador com o sonho de prosseguir com os meus estudos secundários. Nos anos 2007-2009 continuei com os meus estudos secundários na Escola Secundária de Monapo, onde continuei a ser acompanhado nos encontros vocacionados pelos padres de Verbitas que trabalham no Monapo. No ano de 2008 comecei a entrar em contacto com os padres da Consolata por intermédio dos seminaristas Noé e Joaquim Caetano que conheci no Monapo num dos nossos encontros vocacionais. A 29 de Janeiro de 2010 entrei no Seminário da Consolata, Casa Allamano, em Nampula, onde fiz três anos de estudos. E nos anos 2013-2015 estava em Maputo para os estudos Filosóficos. Terminada a Filosofia fui enviado para Quénia para estudar a língua Inglesa e depois fazer o Noviciado.

A minha caminhada vocacional foi repleta de alegrias, mas também algumas tristezas por exemplo um dos momentos difíceis da minha caminhada vocacional vivi no ano de 2012 quando recebi uma chamada inesperada no dia 29 de julho com uma mensagem que anunciava a perca da vida da minha saudosa mãe.  Eu, sendo o primeiro filho comecei a pensar em regressar do Seminário para cuidar dos meus irmãozinhos, graças aos conselhos dos missionários e missionárias, dos meus professores, e mesmo do meu pai, me deram a coragem de continuar. Ir Adelaide, que todos nós conhecemos, dizia "Maria mãe de todos nós, vai cuidar dos seus irmãozinhos".

O Segundo desafio na minha caminhada vocacional foi a condição económica e social como muitas famílias de Itoculo que vivem da agricultura. A minha família também se sustenta da agricultura que muitas vezes não chega para responder às necessidades básicas do dia-a-dia, principalmente na área da educação e saúde. Assim, para responder às minhas necessidades académicas, trabalhava nos Padres durante as minhas férias junto com outros estudantes da minha idade, e assim conseguia adicionar com o dinheiro que o meu pai conseguia. As palavras do Pe. Damasceno, que as considero proféticas na minha vida, ele dizia numa das nossas conversas "Se é o chamamento de Deus nunca lhe vai faltar o suficiente para realizar o teu sonho ". E de facto a partir dessa altura nunca faltou o necessário mesmo que por mim acho impossível.

- Como foi a celebração da Primeira Profissão?
Juma: É desta maneira que cheguei a ter os Primeiros Votos Religiosos no dia 08/07/2017 em Sagana -Quénia na Paróquia nossa Senhora da Consolata Sagana Catholic Church, tornando-me assim o primeiro missionário da Consolata desta Paróquia que viu nascer a minha vocação religiosa e missionária. Foi um momento inesquecível e ao mesmo tempo um momento de manifestação do amor de Deus Pai na minha vida. Eramos 18 jovens de quatro nacionalidades, a saber: Republica Democrática do Congo, Uganda, Moçambique e Quénia. A Santa Missa foi dirigida pelo Reverendo Pe. Joseph Waitakha, Superior Regional do Quénia e Uganda. A Profissão Religiosa foi testemunhada por centena de cristãos.

-Que perspectivas para o futuro?
Juma: O meu plano para o futuro próximo é de continuar com estudos, na África do Sul, para fazer a teologia que é a última fase da formação sacerdotal. Depois, ir nas terras de missão onde o Espírito Santo quiser que eu esteja, se esta for a vontade de Deus.

-Que mensagem deixa aos jovens de Itoculo?

Juma: Para terminar quero agradecer a cada um de vós pelas vossas orações e conselhos que me ajudaram a realizar o meu sonho de ser religioso. Ao mesmo tempo pedir a cada um de vós irmãos e irmãs de colocar nas mãos de Deus todos os vossos sonhos pois, Jesus o nosso Senhor, nunca vos abandonará.

Comentários

beijo de mulata disse…
Que mensagem tão bonita e inspiradora! Que Deus abençoe sempre essa comunidade!
Anónimo disse…
Sábias palavras da irmã Adelaide: "Maria, a mãe do céu, irá cuidar dos seus irmãozinhos"! e também da vocação do Juma.

Mensagens populares